Como a meditação pode te ajudar na mudança comportamental

Últimos Achados Científicos sobre Meditação

Como a meditação pode ajudar na mudança comportamental

O Diretor e Fundador do Centro para Mentes Saudáveis, Dr. Richard Davidson está determinado em compartilhar os benefícios e limitações da meditação.

Veja como a meditação pode ajudar na mudança comportamental. Em seu mais recente livro, “Altered Traits: Science Reveals How Meditation Changes Your Mind, Brain and Body” (sem tradução prevista para o Português) em autoria conjunta com um amigo de longa data e especialista em inteligência emocional Daniel Goleman, Davidson trás diversos temas polêmicos à tona e compartilha décadas de pesquisas, testes e desenvolvimentos feitos no Centro para Mentes Saudáveis da Universidade de Wisconsin com o objetivo de contribuir para com a nossa compreensão sobre a meditação, e mais importante ainda, nosso bem estar e desenvolvimento pessoal.

Atualmente existem uma série de estudos com um grande foco nos tipos de “estados” que uma pessoa pode experimentar enquanto medita. Mas afinal de contas o que estes estados mentais alterados significam?

Quando nós falamos sobre estados mentais alterados, nós estamos falando na verdade dos benefícios que perduram e se multiplicam para os diversos momentos do nosso dia a dia, que vão muito além do simples momento no qual meditamos.

E quando pensamos sobre a meditação, ou outros tipos de intervenções similares, como por exemplo a Yoga, os cientistas estão realmente mais interessados nos impactos destas práticas na qualidade de vida das pessoas e se estes efeitos perduram.

Se o objetivo da meditação fosse apenas para obter um relaxamento momentâneo, como por exemplo ao usar uma droga ou até mesmo assistir televisão, você teria os mesmos efeitos e a sua experiência iria terminar logo após o “consumo” retornando então para o seu estado mental inicial, o exato momento no qual você se encontrava antes da meditação.

Se isto realmente fosse verdade, qual seria o objetivo de tantos estudos e o tamanho frissom causado hoje pela Atenção Plena?

Ainda bem que as recentes evidências científicas têm provado exatamente o contrário, os efeitos da Atenção Plena propagam-se e multiplicam-se para muito além do momento ao qual meditamos, e existe muito mais envolvido nisso do que uma singular experiência das pessoas que meditam regularmente. É científico e comprovado.

O foco central destas práticas é a alteração dos traços de personalidade das pessoas a curto, médio e longo prazo, ou seja, seus comportamentos, e está é a razão fundamental pela qual as pessoas que se dedicam a meditação evoluem absurdamente e obtém com isso um grande desenvolvimento pessoal.

Até o momento, a literatura científica, incluindo o trabalho inicial do Dr. Richard Davidson e sua equipe, focava mais nos traços de caráter e personalidade. Isto aconteceu pois era o caminho mais fácil e razoável para se começar.

Mesmo que estes traços venham sempre a frente e são na maiorias das vezes tratados como o ponto mais importante em grande parte dos estudos, a proposta do mais novo livro do Dr. Davidson é a de olhar para eles de maneira menos apaixonada e observar os estados mentais por trás destes traços e se estes estados perduram por tempo o suficiente para gerar mudanças comportamentais sustentáveis.

Um dos fatores chaves deste livro é abordar as evidências de maneira pontual e levantar o seguinte questionamento: Existem evidências suficientes para sugerir que os diferentes estilos de meditação praticados hoje levam a mudanças comportamentais que perduram?

Uma das conclusões do livro é que existem algumas evidências que comprovam que a meditação leva a mudanças significativas nos traços de comportamento do ser humano, mas também provam que a prática contínua e consistente é um importante atributo para que estas mudanças positivas permaneça. Segundo o próprio Dr. Richard Davidson, “Nós estamos aprendendo que as mudanças comportamentais andam de mãos dadas com os novos hábitos implantado e com a prática consitente ao longo do tempo.”

Existe um grande frissom sobre a meditação atualmente, e uma das coisas que fazemos nesse novo livro é tentar ajudar a sociedade a corrigir está visão equivocada de que você pode usar a meditação para “corrigir” qualquer coisa na sua vida, ou em você mesmo. ~ Richard Davidson.

Quais são as principais mudanças comportamentais que acontecem através da meditação?

Existe um grande número de mudanças comportamentais que são motivadas através da prática da meditação, mas os traços aos quais temos o maior número de evidências são: Equaniminidade, Comportamento Social e o Relacionamento com o “eu”.

  • Equaniminidade

Na equanimidade, estamos nos referindo à mudança sistemática e duradoura na regulação das emoções – a nossa habilidade de nos acalmarmos quando estamos chateados ou irritados, e a capacidade de se recuperar das adversidades.

  • Comportamento Social

O segundo traço no qual vemos muitas evidências é o domínio dos comportamentos e interações sociais que incluem qualidades como gentileza e compaixão.

Um exemplo é o viés implícito destas qualidades as quais têm um impacto muito grande nos diversos problemas que encontramos na nossa sociedade hoje em dia, no entanto a importância de tais caraterísticas é completamente ignorada pela nossa cultura nacional nos dias de hoje, onde o que vale é a lei do mais forte onde é cada um por sí e Deus por todos.

Existem muitas evidências que indicam que as formas mais simples de meditação de compaixão podem nos levar a mudanças duradouras na sociedade como um todo, onde aprendemos a ver as pessoas que são diferentes de nós de uma maneira livre de julgamentos e como se necessariamente não pertencessem a um outro grupo externo ao nosso, afinal somos todos iguais, quando se trata de emoções e sentimentos.

  • Relacionamento com o “EU”

A terceira área onde temos muitas evidências dos impactos positivos da meditações é a habilidade de mudar o nosso relacionamento com nós mesmos, especialmente com nosso diálogo interno, através do auto conhecimento e da introspecção proporcionados pela meditação.

Todos nós carregamos uma narrativa de quem somos, ou deveríamos ser, dentro de nossas cabeças, e a extensão desta narrativa tem um impacto verdadeiro na maneira como nos representamos e nos comportamos no mundo real – o quanto nós retificamos e solidificamos este nosso “EU  pode criar problemas e uma visão um tanto quanto distorcida sobre nós mesmos e os outros.

Segundo os pesquisadores a meditação nos liberta deste apego a esta narrativa interna e nós permite sermos mais permeáveis e flexíveis. Este fator é essencial para aumentar o nosso bem estar, auto estima e auto confiança, e também é uma mudança duradoura que vem com a prática da meditação a médio e longo prazo gerando um processo contínuo de auto conhecimento.

Altered Traits

Ouvimos bastante sobre o que a meditação pode fazer. Mas e o que ela não pode fazer?

Esta é uma pergunta muito importante. Existe hoje uma grande moda sobre a meditação, e uma das coisas que esse livro ajuda a desconstruir é esse ideia equivocada de que a meditação pode corrigir qualquer coisa na sua vida e em você mesmo.

A meditação não conserta nada, ponto final. Ela não foi criada para fazer isso. Meditação também não se trata de esvaziar a mente ou parar seus pensamentos. Ela certamente não se trata de um remédio definitivo ou uma solução única que funciona para toda e qualquer pessoa.

A meditação nos ensina a acalmar os nossos pensamentos e sentimentos, observar a nós mesmos de maneira distanciada e a lidar com os nossos próprios pensamentos e sentimentos para que possamos nos desenvolver através do auto conhecimento gerado por ela.

Em uma entrevista sobre o livro Dr. Richard Davidson e o Co-Autor Daniel Goleman descreveram quantas direções eles tomaram em suas pesquisas inspirados nas suas próprias experiências pessoais através da meditação. Dr. Richard Davidson também foi questionado sobre o quanto a sua experiência pessoal na meditação influenciou as suas pesquisas levando-o a uma linha de investigação científica completamente nova.

“Um dos exemplos que mais me saltam a mente agora foi a minha experiência cultivando qualidades como resiliência e perspectiva. Resiliência é a velocidade com a qual as pessoas se recuperam das adversidades, e eu percebi que esta qualidade foi melhorada significativamente graças a minha experiência através de meditação a longo prazo, e certamente ela não foi desenvolvida instantaneamente, e sem dúvidas eu sou um exemplo neste quesito pois sempre tive muita dificuldade em persistir quando as coisas que eu me propunha a fazer não davam certas.

Mas eu acho que eu me tornei um pouco melhor em ser capaz de me recuperar de adversidades, e umas das coisas que nós gostamos de dizer para parafrasear o dito popular “Shit Happens”, é que “Coisas Acontecem”, e você não pode mudar o que aconteceu, mas você pode mudar a maneira como você se relaciona com isso. Eu tenho aprendido a não mais me dobrar diante de qualquer adversidade; somatizar tudo isso pode se tornar muito tóxico para o nosso corpo e mente. Construir minha habilidade de lidar com as dificuldades em um nível pessoal é o que tem me motivado a investigar isto de um ponto de vista científico desde o começo.

A outra qualidade que reforça isto é a perspectiva, que nada mais é que a habilidade de se levantar diante de qualquer situação e dizer basicamente “Tudo está OK”. Ao termos uma visão otimista mesmo com o mundo desmoronando ao nosso redor, eu acredito ser possível visualizar um futuro onde as coisas são diferentes. Nós podemos nos agarrar em uma visão positiva sem sermos tolos ou ingênuos, mas sim inabaláveis. Isto por si só já é muito poderoso pois nos permite saltar no fogo e ficar OK  com isso.”

Sobre Autor

Gabriel Menezes

Atleta livre e amador que acredita no resgate pelo esporte, tendo a compaixão como sua religião e as atividades físicas como a sua filosofia de vida.