fbpx

ANTÓNIO BASALOCO – PORTUGAL

Transformação Corporal - António Basaloco

“Trabalhe duro e em silêncio. Deixe que seu sucesso faça o barulho.” 

“Foi este o lema das minhas primeiras 15 semanas com Freeletics, e á medida que as semanas passavam e os resultados apareciam prosseguia (e ainda prossigo hoje na minha 46ª semana) sem grandes alaridos.

Mas aceito o desafio e sinto-me na obrigação de redigir o testemunho da minha curta história com o meu “querido” coach com intuito de mostrar e incentivar que com determinação e as escolhas certas os resultados aparecem.

Chamo-me António Basaloco, tenho 33 anos e vivo num pais pequeno mas carregado de ambição, está nos nossos genes lutar e encarar de frente novas descobertas, novos desafios, e como sou um orgulhoso Português, mais concretamente de Vila Nova de Gaia (Porto) descobri e desafiei-me no Freeletics.

Como cheguei ao Freeletics?

Freeletics surgiu na necessidade de fazer exercício físico, na verdade eu sempre fui um amante da prática desportiva, desde o atletismo ao futebol, passando pelo basquete e treino de ginásio (Fisiculturismo), mas por questões profissionais e alguma preguiça, confesso que me deixei cair numa inércia total, aliado ao stress laboral, alguns problemas de saúde e uma alimentação menos regrada levou-me a um aumento substancial do peso e consequentemente ao aparecimento da fadiga crónica (física e mental). Sabia que aquele não era o caminho certo e tinha de inverter a situação.

Voltei ás corridas em força, cheguei mesmo a participar em provas dos 5kms aos 21 Km e apesar da perda de peso e uma melhoria na saúde, sentia-me incompleto, apenas e só com a corrida. Fisicamente falando não me sentia satisfeito pois a corrida é um excelente exercício de perda de peso e resistência cardiovascular mas no que toca a definição e ganho muscular está longe de ser a melhor opção e por isso tinha que arranjar algo que me completasse pois embora eu até já me alimentasse de forma mais regrada para complementar a corrida na perda de peso não devia estar eu já com um corpo atlético?

Ok! Todos fazemos desporto para nos sentirmos bem e limpar o stress, mas esta porra cansa! Não merecia eu o prémio de me sentir física e esteticamente bem? Mas porquê que as gordurinhas não me deixavam?!! E resignado pensava – “Ah e tal, se calhar é do meu organismo”.

NÃO. Eu sou um “gajo teimoso” e em mim quem manda sou eu (pelo menos naquilo que posso controlar) e alguma coisa devia estar a fazer de errado. Toca a pesquisar.

Como disse anteriormente pratiquei vários desportos sabia bem que para ganhar massa muscular e definição teria de treinar e submeter os músculos a uma sobrecarga mas na realidade a ideia de estar “preso” entre quatro paredes, horários definidos e também inscrições caras ou seja ginásios não me agradava, nesse momento também já tinha readaptado a minha dieta, adoptei um estilo de vida paleo pois o peso também já não descia mais e estava como se vê nas fotos em cima, sem entrar muito nesse tema para não fugir ao tema principal (embora a alimentação tenha uma grande “culpa” nesta minha evolução) diria de uma forma resumida que se trata de uma alimentação baseada antes da era da agricultura e da respectiva modificação dos alimentos foi através desta alimentação que a nossa espécie evoluiu e sem muitas das doenças e obesidade que se verificam nos dias de hoje, deixo já aqui uma nota pois sei que é sempre um tema que gera muitas perguntas e curiosidade quando há uma evolução, não, não tomo suplementos embora não tenha nada contra os mesmos mas como os resultados tem vindo a ser positivos sem os mesmos não achei ter necessidade de os tomar e assim poupo uns €€€, mas voltando ao Freeletics e ao nosso encontro diria que este surgiu por acaso enquanto pesquisava, via internet, sobre alternativas.

Cheguei aos exercícios calisténicos e Street Workout e numa dessas pesquisas surgiu então o Freeletics e consequentemente o vídeo do Arne! WOW!!! Fiquei colado ao ecrã a absorver todas aquelas transformações fantásticas (Arne, Levent…) como seria aquilo possível?!!! Em tão pouco tempo?!! Com total liberdade e praticado ao ar livre!!! (Uma das coisas que a corrida me ensinou foi o quanto é bom treinar ao ar livre!) Numa primeira instância duvidei, mas porque não experimentar? Sou do tipo ver para crer! Siga! 

E assim começa a minha aventura com Freeletics começa como tantas outras. A excitação inicial de algo novo, que te “promete” aquilo que ambicionas, leva-te a querer começar e experimentar o mais rápido possível. Lembro-me de ter feito o primeiro Workout, um Aphrodite Standart, em 40m23s e pensei literalmente que ia morrer!!! E atenção lembrem-se que eu corria não estava totalmente parado!! Logo aí percebi o porquê daquelas transformações corporais serem possíveis!! Isto não ia ser um passeio! Não ia não!

Iria com certeza perceber o sentido da frase “NO PAIN NO GAIN” enquanto me levaria bem para lá da zona de conforto, mostrou-me na prática que é possível ultrapassar limites e alcançar metas que teoricamente pareciam impossíveis para mim. Mas na pratica aquelas dificuldades não me desmoralizaram até pelo contrário sou uma pessoa que gosto de desafios e de me pôr a prova por isso foi também nesse momento que percebi que tinha de embarcar nesta aventura, era á minha medida!!

Por isso não hesitei e comprei o “Coach Cardio & Strengh” e interpretei cada treino prescrito como uma ordem. Entreguei-me a cada workout como se do último se tratasse e nem as dores do treino anterior me demoviam do meu foco. Chuva, vento, sol, tempo… eram apenas pormenores circunstanciais e se tinha de treinar ás 5 da manhã ou ás 11 da noite então seja feita a sua vontade coach!!!

Não foram raras as vezes que saí da cama de fininho às 5 da manhã e fui para a sala “sofrer” em silêncio para não acordar as minhas princesas!!! Ou até mesmo enfrentar um kentauros, Kronos ou afins enquanto era brindado por uma chuva diluvial ao som de buzinadelas e musica de fundo – “Dá-lhe maluco”-

Mas todos sabemos que resultados requerem esforços, se fosse fácil todos conseguiam…

Encarei de frente todas as dificuldades lutei por cada repetição e nem os Hell Days ou a Hell Weeks me tiraram a ambição e á medida que a zona de conforto era ultrapassada e quanto mais desconfortável ficava mais motivado eu estava (foi nesse momento que comecei a duvidar da minha sanidade mental) LOL!! Tipo “Atletamasoquismo”!!!

Mas como todo o esforço (sem atalhos ou “ninjiges”)  tem a sua recompensa quando findei as  15 semanas recebi o respectivo prémio, (Sinceramente acho que estava em êxtase). Como se pode comprovar pelas fotos, os resultados foram incríveis, afinal eu também era daqueles que achava que nunca ia ter um “six-pack”!!!

Hoje digo que este tipo de treinos não nos transformam em culturistas ou “armários” mas produzem resultados esplêndidos ao nível físico e estético e até na minha perspectiva e humilde opinião tornam-nos mais funcionais e equilibrados entre força, resistência e flexibilidade, comparativamente ao que experienciei em ginásios cheios de equipamentos xpto!

Hoje encontro-me já dentro do meu 4º coach (4º sim, entretanto já acabei o 2º e 3º) sempre na versão Cardio & Strength e o lema que trago comigo neste momento é este,

“ Conquistar é fácil, difícil é manter o que foi conquistado” –  e se me é permitido acrescentaria …  enquanto se luta por novas conquistas! 

Pois é aquelas 15 semanas não foi o fim, foi apenas o início, afinal a saúde e performance física deve ser uma “batalha” diária onde haverá sempre espaço para novas metas e aprendizagens ou seja sempre o início de algo/objectivo. Entretanto como disse já terminei o meu segundo coach foram mais umas semanas de um sofrimento prazeroso (LOL) se é que isto existe.

Mas primeiro gostava de falar do desempenho físico ou seja tempos do Workouts, diria que foi bastante produtivo com muitos PB´s superados e sempre privilegiando uma boa execução dos movimentos em detrimento de retirar mais tempo usando uma má técnica!! A experiência no primeiro coach leva-nos a corrigir sempre os pormenores que podem fazer a diferença no resultado final.

Derramei mais suor e lutei sempre pela superação mesmo quando sabia que o corpo não estava a reagir e mesmo quando não superava o tempo acabava com o mesmo sabor de vitória, pois como sempre digo o corpo reage ao estimulo não ao tempo por si só!!! Claro que comparando com muitos atletas que eu admiro e são para mim fontes de inspiração diria que sou um atleta mediano com uma evolução normal mas progressiva e é essa progressão que eu pretendo, seja ela mais ou menos demorada!!!

No que toca á evolução visual sabia de antemão que os resultados não iam ser tão reveladores como no início, todos sabemos que “debastar” é mais fácil do que trabalhar os “detalhes” é como uma diamante em bruto fácil é lapidar mas depois é preciso dar aquele brilho e polir para que a pedra brilhe em todo o seu esplendor!

Fazendo uma autocritica e tendo em conta o fim do primeiro coach até ao fim do segundo coach praticamente o peso manteve-se inalterável, noto uma maior definição na zona abdominal, uma maior espessura e definição do peito e ombro, mas curiosamente apesar de ser dos exercícios mais efectuados e dos grupos musculares mais solicitados parece que perdi volume nas pernas ou então é efeito da foto pois na realidade sinto-me muito mais forte e até já faço algumas pistols (mais com a perna direita) pode ter sido também perda de gordura pois quando comprimo as pernas vejo já a divisão dos quadríceps ou seja estou também mais definido!!!! Ehehehehe!

Mas não deixa de ser curioso!!! Um pormenor que não se nota nas fotos mas que na realidade noto uma evolução substancial é nas costas fruto da porrada das pull ups!!! Ou seja numa gíria mais popular sinto-me mais rasgado!! Mas é curioso como nós somos insatisfeitos por natureza o que na verdade não é mau de todo pois é essa insatisfação que nos faz querer evoluir…

Uma coisa é certa e apesar de ter visto aqueles vídeos de evoluções espectaculares nunca pensei que o conseguisse mas na verdade consegui.

 Um dia li algures esta frase “Seja mais forte que a sua melhor desculpa”!!

É com esta frase que começo o meu relato de mais 15 semanas e fim do meu amigo 4º coach,, até porque esta frase faz todo o sentido quando o efeito surpresa começa a passar e o cansaço se começa apoderar torna-se perfeito para as desculpas aparecerem e te desviar do que queres conquistar! Mas quem manda carago?!!

É hora de cerrar os dentes e pensar no que te fez começar e o que me fez começar foi aquela imagem da primeira foto e a necessidade de provar a mim mesmo que era capaz e agora que aqui cheguei não vou dar um passo atrás!

Depois de dois coach’s a lapidar o “diamante em bruto” iria abordar uma nova estratégia, tentar ganhar algum peso ou seja mais massa muscular! Não é segredo pra ninguém que para ganhar massa muscular há que treinar bem, comer bem e ora lá está descansar bem( este ultimo é o meu pecado, pois trabalhar por turnos e uma bébé é uma verdadeira desorganização no que toca ao descanso. Mas a é a vida!)

Em relação ao treino o coach encarregou-se de me levar aos píncaros das minhas capacidades e extrapolar mais uma vez a minha zona de conforto por isso restava-me apostar nalgumas alterações na minha dieta paleo. Sem me alongar muito neste assunto apenas digo que descompliquei um pouco as “directrizes” da Paleo Low Carb e introduzi mais um pouco de Hidratos de carbono tais como mais frutas, batata doce, farinha de mandioca…) todos sabemos que hidratos de carbono provocam aumento de peso mas á diferença no que toca á escolha desses mesmo hidratos de carbono podem fazer a diferença entre ganhar peso “limpo” ou peso em “gordura”, inchaço…

Pois comer pão, massas, bolos e afins é diferente de comer frutas, batata doces… (isto é apenas um exemplo, se estiverem interessados pesquisem sobre a paleo há até várias páginas no facebook interessantes nesta matéria e uma delas é precisamente Paleo descomplicado) então vamos lá ver se isto resulta! No que respeita a PB´s todos sabemos que aquele BOOOUUM inicial e chuva de PB´s começa a escassear, hoje cada gota de suor que cai estarrecida no chão é o corpo a chorar pela dor que é lutar por cada segundo que se consegue retirar! Houve semanas mais conseguidas nesse aspecto outras nem tanto mas a entrega foi sempre a mesma ou seja Red Line e por isso todos os treinos foram produtivos e terminados com o mesmo sabor de vitória porque como todos sabemos treino bom é treino feito!!!

O coach também introduziu novos workouts nomeadamente workouts Strenght que me levaram tudo o que tinha e não tinha, apelidei-me até de Antonio El Pistolero tal foram as lutas com as Pistols, o Jack “Navalhas” cortaram-me os Abdominais ao ponto destes pediram clemência e comecei também amar os Burpees quando conheci os Froggers e os Burpees Squat Jumps! Na verdade são estas dificuldades que me mantem motivado acho que sou um pouco atletamasoquista (tipo quanto mais me custa mais gosto de ti), e as muscleups estarão para breve mas estas ainda estão a dar luta e sigo nas progressões!

Mas a verdade é que findando estas 41 semanas de Freeletics e para terminar este testemunho que se alonga digo que cumpri o objectivo, consegui ganhar mais peso e avaliando pelas fotos não perdi muita definição pareço ter mais braço, as costas estão mais robustas (porrada das pull ups), as pernas voltaram a ganhar volume mesmo com tantos “tiros” e os abdominais continuam “extrovertidos” outrora eram tão “tímidos”!! LOL! Mas mais importante do que perda de gordura ou ganho de massa muscular, ganhei saúde, mais autoestima e vontade de superação, aprender que o que achamos ser o limite é apenas uma meta que está já ali á mercê do acreditar, do lutar porque o caminho nem sempre é feito de glória mas no final o que conta é a vitória!

Para terminar diria que hoje estou mais forte do que ontem mas mais fraco do que amanhã por isso siga que o 4º Coach já vai em andamento e só vos digo que a “Nova Era Muscle Ups” já se encontra em desenvolvimento! Sim consegui alguns dias e depois de tantas tentativas as minhas primeiras Muscle Ups! AIIIIIII JAAAAAAAZUS!

Obrigado atletas pelo apoio que também foi/é importante nesta minha caminhada. Agradeço também publicamente ás minhas Princesas (Mulher e Filha) e pais por aturarem estas doidices, Ah entretanto a minha pequenita já me imita a fazer os Jumping Jacks mas só com os braços pois só tem 15 mesinhos (o melhor exemplo tem de partir dos pais e no que depender de mim terá hábitos desportivos)!! Ficaria muito contente que este testemunho sirva de incentivo para aqueles que duvidam que é possível mas relembro que com determinação e as escolhas certas os resultados aparecem! Superem-se atletas! Mostrem quem manda! Um Burpeeabraço a todos o freeatletas!!! 5,4,3,2,1 GO!

THIS IS SPARTA!!!”

Escrito por António Basaloco

Sobre Autor

Convidado do Spartancast

Perfil responsável por posts de convidados, amigos e parceiros do Spartancast.