fbpx

Técnicas de Meditação: Qual é o Melhor Tipo para Você?

Técnicas de Meditação

Técnicas de Meditação

 

Além do mindfulness, existem diversos tipos de meditações com técnicas e princípios bastante diferentes.  Neste 1º Artigo da Série Mindfulness e Técnicas conheça os estilos de meditação mais difundidos e descubra a versão que melhor se encaixa ao seu perfil.

Você pode estar deitado, caminhando, em posição de lótus ou até mesmo dançando. Também pode focar a respiração, o movimento do seu corpo ou um som qualquer, como o mantra “Ohm”, considerado pelos hindus como o corpo sonoro do Absoluto.

Afinal, existem inúmeras formas de meditação com raízes budistas, hinduístas, cristãs e até desvinculadas de qualquer crença ou tradição religiosa, e nem sempre aquele estereótipo de incenso e música calma funciona para conseguir se concentrar. O importante é ter disciplina e persistência para deixar as preocupações de lado e voltar-se para dentro de si por alguns minutos.

O primeiro objetivo da meditação é parar as distrações e tornar a mete mais lúcida

Para tanto, vale meditar de olho aberto, observando imagens, ouvindo sons ou mesmo em silêncio. “O segredo é respirar naturalmente, de preferência pelas narinas, e tentar estaR consciente da sensação do ar que entra e sai.

Para o mestre hare krishna Giridhari Das, a meditação é um movimento pessoal de introspeção, quando uma pessoa entra em contato com o seu ser interior e explora todo o potencial adormecido ai. Faça da atividade meditativa um hábito e veja como ela atuará como uma ginástica da mente.

Se praticarmos pacientemente, os pensamentos perturbadores vão diminuir e vamos experimentar uma sensação de paz interior e relaxamento

Confira a seguir 5 tipos de meditação praticados muito antes do advento do mindfulness e descubra qual pode ser o melhor método para você.

 

MEDITAÇÃO TRANSCEDENTAL

Mente serena, alerta e duas vezes mais relaxada do que durante o sono

A Meditação Transcendental tem origem no norte do Himalaia, procedendo da linha do mestre védico Adi shankaracharya.

Porém, o guru que popularizou a técnica no mundo foi Maharishi Mahesh Yogi. Caso você esteja achando o nome familiar, sim: ele é o mestre que os Beatles foram visitar na índia em 1968.

A ideia era que o quarteto de Liverpool meditasse e assistisse a palestras, mas o resultado foi uma série de músicas que deu vida ao icônico White Album.

Na prática, a Meditação Transcendental é uma técnica mental que não requer esforço e pela qual se experimenta um estado de profundo relaxamento (duas vezes mais intenso que o sono), que torna a mente calma e, ao mesmo tempo, mais alerta.

Pode ser praticada em casa, no trabalho ou até mesmo em locais públicos, pois não envolve controle da mente ou da respiração, nem posturas físicas ou nível de concentração especiais

Não é recomendável, entretanto, praticá-la sozinho. Isso porque podemos acabar fazendo um esforço desnecessário. Quem quiser conhecer a Meditação Transcendental deve participar de um curso com um professor qualificado.

“Conforme a tradição, o ensinamento é transmitido de forma oral e pessoalmente. Uma vez aprendida a técnica, a pessoa estará apta a praticá-la de forma individual”, explica Julian Bernadetti professora de Meditação Transcedental.

O curso oficial aplicado por ela é composto por quatro aulas de aproximadamente uma hora e meia cada, sendo o primeiro contato aberto ao público. As demais aulas devem ser assistidas em dias consecutivos para um bom aprendizado.

Quando bem aplicada, a terapia proporciona diversos benefícios: aumenta a criatividade, a capacidade de resolver probemas, a memória e a concentração, além de diminuir a ansiedade, a pressão arterial e dores de cabeça.

Eles Meditam

Várias outras celebridades além dos Beatles são adeptas da Meditação Transcendental. Gisele Bündchen, Rodrigo Santoro, Oprah Winfrey e Hugh Jackman são alguns. Inclusive, a mente por trás da sitcom Seinfeld, Jerry Seinfeld, disse que só sobreviveu a nove anos escrevendo e filmando a série porque, enquanto a equipe almoçava durante as filmagens, ele meditava.

A técnica surgiu no Himalaia e se popularizou depois que os Beatles foram à Índia conhecer o mestre Maharishi Mahesh Yogi.

Maharishi Mahesh Yogi

Maharishi Mahesh Yogi

KUNDALINI YOGA

O despertar da energia vital que percorre os sete chacras do corpo

O kundalini é conhecido como a primeira forma de ioga praticada. Seu objetivo é despertar a energia física latente, que percorre a coluna vertebral no sentido ascendente dos 7 chacras principais, desde o básico, na altura do cóccix, até o coronário, no topo da cabeça.

Essa energia é ilustrada conceitualmente como uma serpente enrolada na base da espinha dorsal.

A técnica foi aberta ao Ocidente por Yogi Bhajan em 1968 – até então, a tradição proibia o ensino para o público. Para disseminar o Kundalini Yoga, o mestre indiano criou a organização 3HO (Happy, Healthy, Holy Organization), que possuí mais de 300 centros em 35 países, incluindo o Brasil.

Antes da prática, há uma série de exercícios de aquecimento e postura (asanas), chamados kriyas, além de alguns minutos de relaxamento profundo.  Depois disso, segue-se com a proposta de se voltar para o interior, diminuir o fluxo de pensamentos e se concentrar na respiração (pranayamas), entoando mantras e fazendo movimentos diferentes com as mãos (mudras).

Os órgãos e as glândulas são extremamente beneficiados com esses movimentos, eliminando toxinas com mais facilidade

O Instituto 3HO Brasil acredita que o hábito do Kundalini Yoga faz com que o praticante tenha sistemas imunológico e nervoso mais fortes, glândulas vigorosas, boa circulação e consciência do impacto de suas ações. Por meio da meditação, também se pode acalmar a mente e desenvolver a intuição para reconhecer o que é, de fato, verdadeiro e importante.

O ensino dos exercícios do kundulini só foi aberto ao público ocidental em 1968. Hoje, existem centros de meditação kundalini em 35 países.

3 Posições para Iniciantes:

  • Prancha

Como se fosse fazer uma flexão de braço, mantenha as mãos na direção dos ombros. Empurre os calcanhares para trás e estique as pernas. Mantenha suas omoplatas e ombros longe das orelhas.

  • Cobra

Deite de barriga e coloque as mãos no chão ao lado do peito. Mantenha pés, pernas, quadris e barriga ligados ao chão. Alongue as costas. Inspire e solte o ar pela boca.

  • Balanceamento de mesa

Fique de quatro, levante o braço direito e estique a perna esquerda. Mantenha seus quadris e ombros nivelados. Concentre a força no abdômen e expire fundo algumas vezes. Depois inverta a posição.

Yogi Bhajan

Yogi Bhajan

KRIYA YOGA

Escolhas mais conscientes baseadas em 15 técnicas e nove formas de devoção

A proposta do Kriya Yoga é ajudar as pessoas a fazerem uma transição da ação unicamente orientada pelo raciocínio mental para uma vida de escolhas mais unificadas e em sintonia com a consciência individual.

O próprio nome da terapia dá indícios de sua proposta: “kri” significa ação e “Ya”, consciência. Sendo assim, Kriya Yoga é ação consciente.

A prática possui varias vertentes e todas provêm de Mahava-tar Babaji, um mestre espiritual indiano. Ao longo dos séculos, seu avatar viria designando a tarefa de disseminar a meditação a determinados gurus.

O interessante é que cada um destes gurus está alinhado com as necessidades da humanidade de sua época. Hoje, a técnica ensinada é a Atma Kriya Yoga, que foi repassada em 2007 ao discípulo Paramahamsa Vishwananda.

O mundo está mais acelerado. As exigências são maiores e mais intensas, e as pessoas já não têm tempo nem disponibilidade para práticas muito longas ou complicadas. O Atma Kriya Yoga consiste em 15 técnicas, sendo que 14 delas são baseadas nas nove formas de devoção.

Comenta Telma Fussing, treinadora de professores de Atma Kriya Yoga na Organização Bhakti Marga.

Para realizar as etapas ou níveis das meditações do Atma Kriya Yoga, é preciso fazer um curso que poderá ser dado em dois dias intensivos ou ao longo de um período que não exceda três semanas.

É um método para iniciantes que possibilita a cada participante aprender as técnicas e praticá-las posteriormente de acordo com o seu estilo de vida e disponibilidade. Há cânticos, leitura de trecho do Yogananda, ou mesmo da Bíblia, preces de cura etc.

Quem pratica regulamente a Atma Kriya Yoga vê benefícios físicos, mentais e emocionais. Porém, é importante não ter expectativas específicas quanto ao que deve acontecer.

Deixe a energia fluir. “Paciência. Comprometimento pessoal e confiança nas técnicas são as chaves’. Lembre-se de que a prática é um compromisso seu consigo mesmo”, afirma Telma.

Os Níveis Desconhecidos

O Atma Kriya tem 5 níveis. Mas até hoje apenas 2 formas foram ensinadas por Paramahamsa Vishwananda. O primeiro cria uma fundação sólida para a evolução espiritual, queimando carma e elevando a consciência até o terceiro chacra.

Já o segundo eleva ao quarto e quinto chacras, ajudando o praticante interiorizar e se conectar com Deus. A abertura dos outros chacras, no entanto, ainda é um mistério.

Paramahamsa Vishwananda

Paramahamsa Vishwananda

 

DAKSHINA TANTRA

Exercícios personalizados para alinhar os chacras e promover a autocura

Esqueça a relação do Tantra com a sexualidade. A meditação Dakshina é de origem indiana e vê o ser humano como uma combinação de energias.

Seu objetivo é fazer com que o praticante saiba usar adequadamente os chacras para acumular energia positiva e promover a autocura. Conforme o aluno toma consciência de suas energias e de sua capacidade de lidar com elas, ele vai harmonizando modalidade no seu interior e também se harmoniza com o que está ao redor.

Conhecida por alguns como aulas de “Tantra de mão direita”, a prática difere bastante das outras formas de meditação. Isso porque ela não é indicada para ser feita em grupo.

De acordo com a Associação Brasileira de Dakshina Tantra Yoga, as aulas são personalizadas e com acompanhamento permanente de um tutor. Tudo para alinhar de forma correta os chacras de cada um.

Primeiro é feita uma avaliação do praticante. As características pessoais são observadas e as técnicas são prescritas em fichas individuais construídas para cada pessoa.

Depois, o aluno realiza a sua aula, sendo observado, corrigido e auxiliado pelo professor. A última etapa é a reavaliação, quando os iniciados recebem um feedback. Se necessário, novos exercícios podem ser prescritos.

As atividades personalizadas pelo Dakshina Tantra Yoga são bem variadas e possuem benefícios específicos. Entre as técnicas usadas estão kryias (processos de purificação), asanas (posições), mudras (posturas de mão), pranayamas (técnicas de respiração), relaxamento e meditações tântricas.

Os adeptos do Dakshina conseguem ver diferentes benefícios ao longo prazo. Eles podem ser físicos (maior flexibilidade corporal, equilíbrio do tônus muscular e dos sistemas fisiológicos), emocionais (maior concentração, diminuição de estresse, ativação da memória e da criatividade) e espirituais (transcendência da noção de individualidade e reconhecimento de si mesmo como totalidade).

Modalidade não é indicada para grupos. As aulas devem ser individuais e com a supervisão permanente de um tutor

Os Mestres

O Dakshina Tantra Yoga é uma técnica que segue a tradição guru-discípulo. Seu precursor foi Maharishi Kartikeya Maharaj, que viveu até o início do século XX na Índia.

Ele passou os ensinamentos para Swami Dhirendra Bhramachari, que entregou as técnicas a Swami Dattatreya. O responsável por trazer a meditação para o Ocidente foi o brasileiro Paulo Murilo Rosas, que a aprendeu diretamente dos dois últimos mestres citados.

Meditação Tantra Swami Dhirendra Bhramachari

Swami Dhirendra Bhramachari

 

RAJA YOGA

Controle dos sentidos físicos e sutis para se conectar com a Alma Suprema

O Raja Yoga é conhecido também como o ioga real, a ligação mais nobre entre a alma do ser humano e a Alma Suprema, ou seja, Deus. Vinda do hinduísmo, essa prática de meditação treina a mente para que ela seja sua amiga.

Com isso, o adepto abandona velhos padrões de influência e se recria para ser como ele quiser. Isso porque o Raja ajuda o praticante a ter controle sobre oito sentidos – cinco físicos (visão, audição, olfato, paladar e tato) e três sutis (mente, intelecto e sanskara, o arquivo interno de cada pessoa, que se manifesta em traços de personalidade, hábitos, valores e crenças).

Segundo a Brahma Kumaris, movimento mundial especialista na técnica, o Raja Yoga não requer a repetição de sons ou mantras, nem a concentração em objetos físicos, como chama de vela e mandala

A ideia é que, ao doutrinar a consciência, automaticamente você consegue mudar sua atitude mental, sua visão do mundo e das pessoas, e transformar a qualidade dos seus atos.

Para praticar o Raja, é necessário procurar um lugar com poucas distrações e sentar-se confortavelmente em uma cadeira ou poltrona. Caso prefira o chão, cruze as pernas na posição de lótus. Experts em ioga também podem arriscar alguma postura tradicional, como a do pombo.

Se tiver problemas para se desconectar dos ruídos externos, concentre-se no ritmo respiratório. Depois, escolha um pensamento bom e se concentre nele. Esse pensamento vai produzir um sentimento que você deve tomar para si, a fim de que seja uma realidade em sua vida, independentemente das circunstâncias.

A Brahma Kumaris diz que quando se está em silêncio, cancelando padrões mentais e permitindo conhecer a paz profunda da alma, mudanças milagrosas podem acontecer. As pessoas passarão a lhe compreender de forma clara, novas portas se abrirão e seu pescoço rígido relaxará.

Vale lembrar que o Raja Yoga é muito mais do que uma prática de relaxamento ou uma sessão que lhe agrade ou espiritual da qual se pode participar ocasionalmente. É um estilo de vida. E quanto mais você praticar, mais transformado você sairá da experiência.

Para se iniciar no Raja, procure um lugar calmo, escolha uma posição que lhe agrade e se concentre em um bom pensamento

5 Estágios da Meditação

A transformação proposta pelo Raja Yoga só ocorre após o praticante entender os 5 estágios de meditação.

São eles: saber quem você é; lembrar-se de suas qualidades; ter consciência de que vivia em uma dimensão de luz e que voltará para lá; aceitar Deus como forma universal de energia e entender seu relacionamento com a Alma Suprema.

Em silêncio, as respostas devem aparecer, propiciando a conexão de sua alma com Deus. Alguns praticantes até arriscam posturas do Raja Yoga – como a do pombo – durante a meditação, mas o ideal é sentar-se de maneira confortável, para que a mente possa se concentrar apenas nos pensamentos.

E aí, o que achou destes estilos de meditação? Quer conhecer e praticar uma técnica mais secular e simples ao acesso de todos?

mindfulness

 

Sobre Autor

Gabriel Menezes

Fundador do Spartancast, Consultor e Especialista Internacional em Liderança, Alta Performance e Mindfulness com atuação na área esportiva e empresarial. Terapeuta Holístico (Registro Profissional CRTH-BR: 3128) e Professor de Mindfulness credenciado pela International Meditation Teachers Trainers Association (IMTA) e Membro Executivo do International Institute for Complementary Therapists (IICT) e Membro Profissional da American Mindfulness Research Association (AMRA).

A grande ideia

Motivacional #16 – A Grande Ideia

Episódio MOTIVACIONAL. Também disponível no Soundcloud! Onde está aquela ideia que você simplesmente engavetou? Texto por: Gabriel Menezes Narração por: Fabio Pedreira Disclaimer: Este podcast é uma ...