fbpx

4 Mentalidades Auto Sabotadoras que Te Destroem de Dentro para Fora

Mentalidades Auto Sabotadoras

Porque será que, a maioria das pessoas, mesmo sabendo que algo irá lhes trazer benefícios, não coloca isso em prática?

Sempre me pego refletindo esta questão e confesso que é estranho pensar nisso. Pois, embora a resposta pareça simples ou mesmo óbvia, achar a causa raiz exige uma investigação profunda.

Esta pergunta martela em minha cabeça praticamente todos os dias, isso porque, quero entender o ser humano, e quem sabe um dia achar uma maneira de reverter esta situação e ajudar muitas pessoas.

E quando me faço essa pergunta, é obvio que penso sempre no contexto da atividade física e alimentação saudável, mas se pararmos pra analisar atentamente perceberemos como é possível extrapolar tal contexto para diversas outras áreas da vida, como por exemplo, ir a um médico preventivamente, parar de fumar e abusar do álcool, aprender novas coisas, cultivar amizades, etc.

Adoraria entender a ciência por trás disso para poder vir com uma fórmula definitiva para sanar este problema. Todavia, enquanto a resposta ideal não surge, acredito que sou capaz de modelar a mentalidade do meu “eu sedentário” do passado para tentar encontrar as principais causas que impedem as pessoas de se colocarem em movimento.

Forjar a mentalidade adequada é essencial…

Refletindo sobre a mentalidade que tive de forjar durante o meu processo de transformação física, consegui observar 4 Mentalidades Auto-Sabotadoras causadoras deste grande “mal da humanidade”. E por experiência própria, entender o que te segura no mesmo lugar é o primeiro passo para a mudança e criação de um mindset poderoso que lhe colocará em movimento contínuo e irrefreável.

Sei que isso soa repetitivo, mas todos sabem que ao nos alimentar de maneira saudável teremos mais energia, ficaremos mais bonitos, envelheceremos bem e viveremos mais, mesmo assim acabamos agindo contrário a isso. Então por que agimos desta maneira?

Já é cientificamente comprovado que o nosso corpo foi feito pra se movimentar, portanto, nada mais óbvio que somos plenamente capazes de fazer exercícios, como academia, nadar, caminhar no parque, correr, etc. A medicina preventiva aponta os benefícios das atividades físicas para prevenir a obesidade, hipertensão e diversas doenças cardíacas incluindo as degenerativas como diabetes, Alzheimer, dentre outras.

Vemos o tempo todo nos telejornais as estatísticas alarmantes onde milhares de pessoas todos os anos são diagnosticadas ou morrem destas doenças e mesmo assim acabamos nos acomodando… Afinal, por que não fazemos o bem a nós mesmos?

Agora, peço que pare por alguns instantes para refletir e se colocar na seguinte situação:

Imagine-se acabando de comprar um carrão importado como uma Ferrari top de linha, por exemplo, use toda a sua imaginação e tente colocar-se nessa situação de verdade, sinta a empolgação de um carro zero importado na sua garagem esperando por você para te levar a qualquer lugar…  Incrível a sensação né? Após sair da concessionária todo feliz com o seu carrão dos sonhos o que vai acontecer? Você terá que leva-la para abastecer em algum momento, certo? Eu duvido que você terá coragem de parar no primeiro posto e abastecer com uma gasolina de origem duvidosa e de baixa qualidade, duvido que se o frentista oferecer-se para polir sua máquina, se você não vai ficar lá em cima dele, de olho em cada movimento pra ver se ele está realmente tendo todo o cuidado, e se está tendo um capricho extra com o seu carro.

Isso ocorre porque esse carro é importante para você, é um carro caro, um carro que te custou mais de 300 mil reais. Porém lhe garanto uma coisa, e é esse o discernimento que eu quero que você alcance agora… O seu corpo e a sua saúde valem infinitas vezes mais do que aquele carro. Afinal, sem eles, você nem teria conseguido conquistar e usufruir deste sonho. A saúde e o seu bem estar não têm preço, têm valor imensurável. Então responda pra você mesmo (ou deixe seu comentário abaixo deste post): Qual a lógica, da gente tomar todo esse cuidado com o nosso carro, por exemplo, mas em contrapartida quando se trata de nós mesmos, não nos importamos em fumar, abusar do álcool, beber refrigerantes, comer frituras, junk food, fast-food, entre outros?

Objetivo desta reflexão

O que desejo que entenda com esta reflexão é, que o seu corpo é a sua máquina, e só você pode cuidar dele, ninguém pode fazê-lo por você!

Todavia, como mencionado no início deste artigo, existem algumas mentalidades limitantes que ao reconhecê-las é possível entender o porquê de nos sabotarmos tanto. Estas mentalidades ocorrem geralmente em pessoas que ainda não conseguiram se colocar em movimento, e simplesmente se entregaram a todas estas circunstâncias negativas colocando a sua saúde em cheque, tornando o ato de beber e comer como seu hobby principal, hobby este que mais cedo ou mais tarde cobrará caro de sua saúde.

Segue abaixo as 4 Mentalidades Auto-Sabotadoras que modelei baseado no meu modelo de realidade na época em que eu era bem gordo e sedentário.

1.      Zona de Conforto:

É tão bom ficar no sofá vendo televisão, comendo e bebendo depois de um dia cansativo de trabalho, não é? E aquela quarta-feira de futebol com o seu time do coração jogando e você tomando aquela cervejinha? E aquele refrigerante durante o almoço que você não consegue largar? A zona de conforto é a principal inimiga da mudança! E essa meu amigo, é a mentalidade mais difícil de sair, porém no momento nos limitaremos neste artigo a somente identificar as mentalidades que te bloqueiam lhe impedindo de colocar-se em movimento. Então, vamos a próxima!

 2.    Pensamento Imediatista:

 A tal da busca incessante por resultados milagrosos em curto prazo. Bem, uma vez que o sujeito resolve mudar e está disposto a se colocar em movimento, para abrir mão da sua zona de conforto ele só o faz com a seguinte condição: Que os resultados venham logo! Porém, como estes resultados rápidos não acontecem, ele se frustra e não consegue dar continuidade ao processo e com isto inconscientemente se bloqueia e acaba implantando esta crença limitadora no seu subconsciente de uma maneira imperceptível, mas que o ancora no círculo vicioso da zona de conforto.

3.    Resistência a Mudança:

A ironia é que por mais benéfica que a mudança possa ser, geralmente permanecemos na zona de conforto pois temos medo de mudar! E isto ocorre porque no fundo do nosso subconsciente estamos adaptados e confortáveis com esta condição atual e por ela não nos expor a nenhuma ameaça imediata acabamos por nos entregar e nos acostumar com a mesma. A esta capacidade do ser humano de se adaptar e acostumar-se com a sua condição, a neurociência dá o nome de Adaptação Hedonista.

Quando pensamos em tudo que devemos mudar, abrir mão e sacrificar para atingir os resultados desejados, criamos uma tensão no nosso cérebro que fortalece essa resistência a mudanças, inerente a natureza fundamental do ser humano.

4.  Auto Cobrança:

Esta é a capacidade quase que automática que temos de nos cobrar ou exigir demais de nós mesmos, de nos culpar por não conseguir manter os comportamentos adequados por 100% do tempo. E esta mentalidade esta inerentemente ligada a mentalidade do imediatismo pois, como queremos resultados rápidos, achamos que temos que nos manter impecáveis na dieta, treinando todos os dias de maneira ininterrupta, e, quando não o conseguimos, nos culpamos, nos frustramos, nos desapontamos…

O que naturalmente nos desanima e leva-nos a parar completamente a atividade. Uma vez que criamos esse bloqueio mental nos tornamos intolerantes com nossas “falhas” e impaciente com a demora no alcance de resultados.

Depois dos fatos apresentados, fica notório que o primeiro passo para a mudança de mentalidade é descobrir e entender tudo aquilo que te impede de fazer o que você sabe que lhe fará bem, mas mesmo assim não consegue fazer.

Não existe ordem lógica para estas mentalidades ocorrerem…

A relação entre estas 4 Mentalidades Auto-Sabotadoras não será necessariamente linear ou sequencial, poderá ocorrer de maneira simultânea, pois lidamos com estas crenças o tempo todo em nosso cérebro de uma maneira muito inconsciente. Ao nos entregar a zona de conforto, fortalecemos ainda mais esta atitude com o pensamento imediatista quando não vemos resultados rápidos, simultaneamente criamos em nosso cérebro uma resistência a mudança ao pensar em tudo que teremos de sacrificar para conseguir o tão desejado resultado, e, finalmente, solidificamos estas atitudes com a frustração que vem ao nos exigir demais e ver os pequenos vacilos e deslizes como algo que coloca em cheque todo o processo de mudança.

No final elas são as principais responsáveis por nossa auto-sabotagem na maior parte do tempo, e muitos não conseguem nem dar o primeiro passo por levarem estas crenças limitadoras consigo de uma maneira tão inconsciente que não conseguem enxergar grandes vantagens na mudança, mesmo que a sua saúde esteja ameaçada.

Não temos a prentensão neste artigo de entrar em detalhes de como fazer para você se libertar destas mentalidades auto-sabotadoras, mas prometemos voltar em breve com um artigo que lhe ensinará a implantar alguns “hacks mentais” que lhe ajudarão a implantar um mindset matador para que você consiga fazer TUDO AQUILO QUE VOCÊ SABE QUE LHE FAZ BEM!

Reflita e reconheça o quanto você se sabota todos os dias partindo destas crenças pré-concebidas que você implantou em seu mindset de uma maneira talvez muito imperceptível. Não deixa de aprender a como Hackear a sua mente através do nosso artigo com 3 Hakings Mentais para Sair da Zona de Conforto.

Pronto pra eliminá-las e se tornar um espartano?

Sobre Autor

Gabriel Menezes

Fundador do Spartancast, Consultor e Especialista Internacional em Liderança, Alta Performance e Mindfulness dando treinamentos corporativos em todos os continentes do mundo. DJ, Terapeuta Holístico (Registro Profissional CRTH-BR: 3128) e Professor de Mindfulness credenciado pela International Meditation Teachers and Therapists Association (IMTTA), Membro Executivo do International Institute for Complementary Therapists (IICT) e Membro Profissional da American Mindfulness Research Association (AMRA). Diretor e Representante da IMTTA no Brasil formando mais de 200 Professores de Meditação e Terapeutas. CEO do SOMA Awakening Breathworks nos Países de Língua Portuguesa.